Dicas Indispensáveis Para Pedir a Indenização

​​​Você não precisa contratar terceiros para dar entrada no pedido de indenização do Seguro DPVAT.

Este é um procedimento gratuito. Pagar pela ajuda de terceiros é deixar de receber uma parte da indenização cujo valor integral é um direito seu.

 

 

Consulte a lista de documentos neste site e entregue-a no ponto de atendimento DPVAT mais próximo de você. Para isso, lembre-se: você também conta com as agências dos Correios.

E não se iluda. Quem diz que é complicado pedir a indenização do DPVAT pode estar enganado ou enganando você. Faça tudo você mesmo!​


DPVAT – Documentação Despesas Médicas

Informamos abaixo os documentos normalmente requeridos para a análise do pedido de indenização. Em casos especiais, a seguradora poderá solicitar algum documento ou informação complementar. Se isso acontecer, lembre-se: o objetivo da solicitação é garantir o pagamento correto, em favor do legítimo beneficiário. Portanto, colabore.

 

Os documentos para abertura do pedido de indenização só poderão ser entregues pela própria vítima, beneficiário ou representante legal. Terceiros poderão apresentar a documentação desde que entreguem uma procuração específica para dar entrada no Seguro DPVAT.

 

1 – Da Vítima e do Acidente do DPVAT

​​. Boletim de Ocorrência Policial (original ou cópia autenticada). Na eventualidade do registro do acidente ter sido feito por ato declaratório, será indispensável a apresentação de documentos adicionais, contemporâneos ao acidente, que demonstrem a existência do acidente, as circunstâncias e a participação do interessado.

 

ATENÇÃO: Os documentos acima, inclusive os emitidos pela rede de atendimento médico-hospitalar, deverão ser produzidos imediatamente após o acidente e permitir a comprovação do nexo de causa e efeito entre o acidente e as lesões.​

 

. Declaração do proprietário do veículo.

. RG da vítima (ou CNH, Carteira de Trabalho, Certidão de Casamento ou de Nascimento) – cópia simples.

. CPF da vítima – cópia simples.

. Comprovante de residência ou declaração de residência.

. Boletim do primeiro atendimento médico-hospitalar ou relatório do médico informando quais as lesões sofridas pela vítima e o tratamento realizado – cópia simples.

. Relatório do dentista (se for o caso) informando as lesões sofridas pela vítima, se o tratamento foi realizado em decorrência das lesões sofridas no acidente, bem como se os dentes eram naturais antes do acidente – cópia simples.

 

2- Do Beneficiário do DPVAT

2.1 – A PRÓPRIA VÍTIMA efetuou as despesas e os recibos estão em seu nome

  • Comprovantes das despesas (recibos ou notas fiscais), contendo discriminação dos honorários médicos e despesas médicas (materiais e medicamentos) acompanhados das respectivas requisições e/ou receituários médicos – EM ORIGINAIS.
  • Autorização de pagamento.

     

     

ATENÇÃO! A autorização de pagamento deverá ser apresentada com um documento comprobatório dos dados bancários, como: cópia de folha de cheque ou cópia do cartão bancário ou cópia do cabeçalho do extrato bancário.

 

2.2 – SE FOR UM TERCEIRO PESSOA FÍSICA quem efetuou as despesas

Conforme a Lei 11.945/09 está vedada a cessão de direitos para acidentes ocorridos a partir de 04/06/2009.

  • Comprovantes das despesas (recibos ou notas fiscais), contendo discriminação dos honorários médicos e despesas médicas (materiais e medicamentos) acompanhados das respectivas requisições e/ou receituários médicos – EM ORIGINAIS.
  • RG do beneficiário (ou CNH, Carteira de Trabalho, Cert.Casamento ou Certidão de Nascimento) – cópia simples.
  • CPF do beneficiário – cópia simples.
  • Comprovante de residência ou declaração de residência.
  • Autorização de pagamento.

 

ATENÇÃO! A autorização de pagamento deverá ser apresentada com um documento comprobatório dos dados bancários, ​como: cópia de folha de cheque ou cópia do cartão bancário ou cópia do cabeçalho do extrato bancário.

 

2.3 – SE FOR UM TERCEIRO PESSOA JURÍDICA quem efetuou as despesas

Conforme a Lei 11.945/09 está vedada a cessão de direitos para acidentes ocorridos a partir de 04/06/2009.

  • Comprovantes das despesas (recibos ou notas fiscais), contendo discriminação dos honorários médicos e despesas médicas (materiais e medicamentos) acompanhados das respectivas requisições e/ou receituários médicos – EM ORIGINAIS.
  • Estatuto ou Contrato Social (se pessoa jurídica), qualificando o funcionário da empresa a receber o reembolso em nome do estabelecimento – cópia simples.
  • RG do funcionário da empresa (ou CNH,​ Carteira de Trabalho, Cert.Casamento ou Certidão de Nascimento) – cópia simples.
  • CPF do funcionário da empresa – cópia simples.
  • Comprovante de residência ou declaração de residência do funcionário da empresa.
  • Autorização de pagamento.
  • Termo de declaração e quitação para as categorias​ 3 e 4

 

ATENÇÃO! A autorização de pagamento deverá ser apresentada com um documento comprobatório dos dados bancários, como: cópia de folha de cheque ou cópia do cartão bancário ou cópia do cabeçalho do extrato bancário.

 

2.4 – Outros (somente em caso de beneficiário representado por procurador)

Documentos de Identificação do Outorgado/Procurador:

  • RG/Carteira de Trabalho e CPF do Procurador – cópia simples.
  • Comprovante de residência do Procurador – cópia simples.
  • Declaração de Prevenção à Lavagem de Dinheiro.

Quanto a procuração, se por Instrumento Público ou Particular:

  • Deverá ser específica para o pedido de indenização do Seguro DPVAT.
  • Deverá ser original ou fotocópia.
  • Deverá constar o domicílio completo do outorgante (beneficiário) e do outorgado (procurador).

 

ATENÇÃO! Se a procuração for por Instrumento Particular, o reconhecimento de firma do outorgante deverá ser por autenticidade, na presença do tabelião. Esse cuidado tem como objetivo resguardar os interesses das vítimas e seus beneficiários.